O Ministério da Igualdade Racial (MIR) exonerou a chefe da Assessoria Especial, Marcelle Decothe da Silva, após uma publicação, em rede social, na qual fazia crítica à “torcida branca” do São Paulo, depois da partida pela final da Copa do Brasil, no último domingo (24), quando cumpria agenda oficial. O desligamento da servidora foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União desta terça-feira (26).

A pasta também publicou nota em que reafirma o compromisso “inegociável” com promoção de direitos e igualdade étnico-racial e informa que Marcelle foi exonerada para evitar atitudes não alinhadas com esses princípios. A nota reforça que “as manifestações públicas da servidora em suas redes estão em evidente desacordo com as políticas e objetivos do MIR”.

As manifestações se referem à publicação em que Marcelle se referia à torcida do São Paulo como “torcida branca, que não canta, descendente de europeu ‘safade’. Pior de tudo ‘pauliste’”. A declaração foi publicada na rede social da assessora logo após a final da Copa do Brasil, quando o São Paulo venceu o Flamengo no Estádio do Morumbi, na capital paulista.

Marcelle acompanhava a ministra Anielle Franco, da Igualdade Social, que cumpria agenda oficial para o lançamento de uma campanha de luta antirracista no futebol. Segundo nota do ministério, o Comitê de Integridade, Transparência, Ética e Responsabilização vai investigar o caso e atuar para prevenir ocorrências que possam ir contra os princípios e a missão da pasta.

Fonte: Agência Brasil-EBC