Foto: Vagner Santos

Uma tarde com informação, conscientização, compartilhamento de experiências e de ‘visibilidade’. Esta foi a programação da comemoração antecipada do Dia Nacional da Visibilidade Trans [29/01] que aconteceu nessa quarta-feira (25/01), no auditório da Prefeitura de Cotia. A casa estava cheia e os presentes acompanharam manifestações de ativistas, de profissionais da saúde e de autoridades políticas, como a codeputada estadual da bancada feminina do PSOL, Carolina Iara. E, para fechar a programação, o coordenador do Núcleo de Atendimento às Pessoas Trans e Travestis de Cotia, Nélio Girardo, e o médico Paulo Bafile, apresentaram a canção ‘Sujeito de Sorte’, de Belchior, puxando o coro da plateia no refrão: ‘Ano passado eu morri, mas esse ano eu não morro’.

O 1º Encontro Visibilidade Trans, Gênero, Diversidade e Políticas Públicas foi organizado pelas Secretarias de Saúde e dos Direitos Humanos, Cidadania e Mulher. Na abertura, a vice-prefeita e Secretária dos Direitos Humanos, Cidadania e Mulher, Ângela Maluf, pediu um minuto de silêncio pela morte da drag queen Kaká Di Polly, na segunda-feira (23/01). Formada em psicologia, Kaká foi uma das pioneiras na noite LGBTQIAP+ de São Paulo. “Peço um minuto de silêncio por Kaká e por todos que lutaram pela causa e morreram. Estamos aqui, somos resistência”, disse Ângela.

A vice-prefeita destacou o compromisso da atual gestão com a população LGBTQIAP+, com a humanização no atendimento e com o combate ao preconceito. “Cotia é a primeira cidade da região a ter um equipamento de saúde pública para atender esta parcela dos moradores […]. Hoje é uma grande tarde para reflexão porque o preconceito é o que mais mata”, disse.

Durante o evento, a codeputada Carolina Iara destacou que 2% da população é intersexo e o assunto ainda é um tabu. “Esta população é ‘escondida’ pela sociedade. Não ouvem a criança, a família, fazem cirurgias e depois descobrem que fizeram tudo errado”, alertou. Ela destacou fragilidades na sociedade, na política e como o Brasil e São Paulo ainda precisam avançar para garantir os direitos LGBTQIAP+.

Durante o evento, Nélio Girardo, falou sobre o Núcleo de Atendimento às Pessoas Trans e Travestis que funciona no SAE/CTA de Cotia. Também fizeram uso da palavra: a advogada Alexandra Pericão, Presidente da Comissão de Diversidade da OAB de Cotia; Jenifer Bittencourt Dias, ativista das causas LGBTQIAP+; Paulo Bafile, médico, poeta e escritor; Kelvin Valentin, escritora e articuladora cultural e Renato Oliveira, funcionário público da Educação de Cotia.

Fonte: Prefeitura de Cotia.