O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), se pronunciou sobre a população quilombola, que pertencia ao grupo prioritário do Plano Nacional de Imunização, ser retirada da fase inicial de vacinação em São Paulo nesta terça-feira (19).

O grupo prioritário é composto por profissionais de saúde, indígenas e quilombolas, segundo o plano publicado em 2020 pelo Governo do Estado. Porém, o grupo não consta mais na primeira etapa de vacinação.

Através das redes sociais, João Doria disse que a decisão de retirada foi do Ministério da Saúde, porém, determinou novamente que os quilombolas continuarão na fase inicial do plano.

“O Ministério da Saúde excluiu os Quilombolas da fase inicial do Plano Nacional de Imunização. Acabo de determinar que em SP a população Quilombola fará parte do programa de vacinação desde já, conforme previsto no Plano Estadual de Imunização”, escreveu o governador. 

Quilombolas no Brasil

Em todo o país, existem mais de 4 mil comunidades quilombolas em cerca de 24 estados, como Amazonas, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins, segundo dados da Comissão Pró-Índio de São Paulo (CPISP).

Um gráfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) com informações de 2019 mostra a estimativa de comunidades quilombolas em todos os estados, incluindo São Paulo.

Por: Nicole Annunciato