Antes de responder a essa questão é preciso compreender do que se trata esta entidade nosológica. Em linguagem médica síndrome, nada mais é do que um conjunto de sinais e sintomas que caracterizam uma determinada doença ou condição clínica.  Na síndrome do coração partido o paciente experimenta um conjunto de sinais e sintomas que fazem lembrar uma condição clínica grave e urgente, qual seja, o infarto agudo do miocárdio (iam). Costuma acometer mais mulheres acima dos 50 anos de idade. Na vigência desta síndrome o paciente pode experimentar:

– dor no peito

-alterações no ritmo cardíaco (bradicardia, taquicardia, arritmia)

-sudorese

-falta de ar

-hipotensão

– cansaço extremo

-desmaio

A despeito de todos esses sintomas assustadores e muito desagradáveis, a síndrome do coração partido é majoritariamente benigna e com evolução de bom prognostico!  São muito raros os casos nos quais o paciente evolui para complicações graves ou morte.  De modo geral o quadro é autolimitado, ou seja, se resolve sozinho com médico, sem médico ou apesar do médico. Brincadeiras a parte, assistência médica adequada é fundamental para boa condução do caso e segurança do paciente.

As causas que desencadeiam a síndrome são basicamente psicossomáticas ou emocionais, por exemplo;

-decepção amorosa

-falecimento de ente querido

– perda de emprego

– ganhar na loteria

A despeito das causas de início dos sintomas serem basicamente psíquicas, o mal estar é muito real e implica em verdadeiro mau funcionamento do ventrículo cardíaco esquerdo.  O choque emocional provoca aumento da secreção de adrenalina pelas glândulas supra renais. Tal aumento da concentração de adrenalina na corrente sanguínea pode provocar espasmos em vasos sanguíneos coronarianos levando a insuficiência cardíaca transitória resultando na sintomatologia que mimetiza um infarto.  A despeito da provável evolução benigna , é imprescindível que o paciente que apresente tais sintomas procure atendimento médico imediato e seja submetido a exames como eletrocardiograma, Rx de tórax e coleta de enzimas cardíacas (troponina, cpk, ckmb) para que sejam descartadas coronariopatias. Em alguns casos, mesmo em se tratando de síndrome do coração partido, podem-se notar alterações nos exames de modo que o paciente necessita permanecer sob observação médica antes de receber alta.

O tratamento consiste basicamente em medicações sintomáticas que visam diminuir o desconforto.  Em cerca de 30 dias o paciente costuma estar restabelecido.

Caso os sintomas estejam se tornando recorrentes e seus exames cardíacos e laboratoriais estejam normais, procure um médico psiquiatra. Não, você não está louco! Mas transtornos de ansiedade e depressão podem cursar com diversos sintomas físicos sendo comuns os relatos de dor no peito, falta de ar, formigamentos, boca seca.  O cuidado adequado é fonte de alívio físico e mental.

Por: Dr Frederico Félix

MANTENHA-SE INFORMADO COM O EXPRESSO
DICAS DE BELEZA     ACONTECIMENTOS    ESPORTES    ENTRETENIMENTO