Um vírus altamente contagioso tem se espalhado entre cachorros nos Estados Unidos. Entre os principais sintomas, estão a tosse contínua e o espirro, e ainda progredir para algo mais sério, como pneumonia ou febre.

Frente ao ocorrido, a recomendação é que as pessoas ajudem a proteger os animais de estimação, mantendo as vacinas atualizadas e evitando locais em que muitos cães estejam aglomerados, como parques, petshops, etc. Evitar o contato entre os cães (focinho a focinho) também foi apontado como uma medida essencial na proteção dos pets.

As autoridades locais apontam que o vírus é transmitido pelo contato direto com um cão infectado e pelo contato com pessoas que foram expostas, podendo ser transportado nas roupas, nas mãos e em itens como tigelas de comida e água, coleiras, brinquedos e roupas de cama. No entanto, vale perceber que esse vírus é facilmente derrotado por medidas como:

  • Usar desinfetante
  • Lavar as mãos com água e sabão
  • Lavar as tigelas e brinquedos com água e sabão

 

A orientação é que se o cão começar a apresentar sintomas, o tutor deve levar ao veterinário imediatamente para tomar antibióticos. A depender da gravidade, os cachorros podem ficar internados de três e 10 dias, mas a infecção em si dura até um mês. Ainda não há casos no Brasil, mas vale ficar alerta e manter as vacinas dos pets em dia.