O objetivo é melhorar as condições dos comerciantes com o intuito de tirá-los da informalidade, oferecendo espaço com higiene, mais segurança e organização
Nesta segunda-feira (15), comerciantes receberam da Prefeitura de Itapevi as chaves dos quiosques instalados no ItapeVila de Compras (Rua Clara Coluzzo Piazza, via ao lado da Caedu, no Centro). Foram beneficiados 46 comerciantes, antes vendedores ambulantes, que se organizaram ao longo dos últimos anos e participaram, em setembro do ano passado, do chamamento público aberto utilização dos espaços.
Os pequenos empresários contemplados agora fazem uso de espaço público por meio de permissão de uso a título precário e oneroso, sendo 41 quiosques que foram concedidos pela Prefeitura e cinco carrinhos de alimentação que são de propriedade de cada comerciante.
Os novos locais possibilitam mais dignidade para quem antes vendiam em barracas sem nenhuma condição de higiene, segurança e agora têm a organização com pontos fixos. Cada quiosque mede 2 metros de largura por 1,60 metro de comprimento e 2,2 metros de altura.

“Vocês terão as chaves, dignidade e não vão ficar precisando ficar carregando os seus produtos para casa todos os dias ou pagando espaços para locação. Não será mais preciso retirar mercadorias no meio da noite ou na madrugada. Agora estamos garantindo cidadania e respeito ao comerciante e cidadão da nossa cidade”, declarou o prefeito Igor Soares, durante as entregas das chaves e inauguração dos boxes.

“É um grande avanço para todos nós essa regularização e a transformação de ambulante para comerciante legalizado e reconhecido pelo poder público do município com a infraestrutura de oferecimentos das nossas mercadorias nos boxes”, declarou Silvana Laço da Silva Cunha, 56, comerciante.
“Todos os dias após fechar a minha barraquinha eu deixava as minhas mercadorias em um galpão e no dia seguinte pegava novamente para começar mais um dia de vendas. Pagava aluguel para deixar minhas coisas. Agora não tenho este custo e posso investir em novas mercadorias”, afirma ela que vende peças de vestuários.
Regularizando comércio popular
A Prefeitura pretende ampliar futuramente a modalidade de comércio popular, que deverá ser aplicado em diferentes locais na cidade de forma gradativa. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Itapevi, pasta que administra a iniciativa em parceria com a Secretaria de Planejamento, os quiosques propiciam o desenvolvimento do comércio local, que por sua vez, permitem à população um maior leque de opções de produtos e serviços. “Antes ambulantes, agora comerciantes com essa medida vai proporcionar um trabalho com mais dignidade, possibilitando a melhoria na qualidade de vida e aumento da renda dessas famílias”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mauro Martins.
A melhoria também trouxe a formalização do negócio, já que agora os irão pagar as taxas municipais para funcionamento. A cidade se beneficia com o fomento do comércio e consequentemente o desenvolvimento econômico do município.
São cinco comerciantes do ramo alimentício que utilizarão carrinhos próprios (por enquanto suspensos de atuar em função da pandemia) e os demais farão uso dos quiosques, sendo: 16 do ramo de vestuário, 13 de armarinho, 7 de empório, dois de calçados, um de doces, um de ferragens e um de tempero. Todos os dispositivos que trabalham com alimentos estão suspensos de atuar no momento em função da pandemia por Covid-19 por determinação do Ministério Público na cidade. Apenas atuarão em sistema de delivery (entrega em casa).
Sobre o ItapeVila de Compra
Trata-se de um projeto municipal que visa criar uma área de comércio popular no centro da cidade. O local contempla comerciantes populares de baixa renda para utilização do espaço público na região da Rua Clara Caluzzo Piazza.
O ItapeVila surgiu de uma proposta inovadora por parte da administração municipal, visando revitalizar as ruas das áreas comerciais nas diferentes regiões da cidade com um padrão urbanístico diferenciado.

COMENTAR

Por favor comente aqui
Por favor informe seu nome