REPRODUÇÃO/PIXABAY

Um homem americano declarou que, depois de ter contraído a Covid-19, seu pênis teria diminuído de tamanho. Ele também acredita que sofreu com disfunção erétil depois de ter pego a doença, conforme contou aos jornalistas Stoya e Rich Juzwiak, em entrevista ao “How to Do It”, um podcast que aborda temas sobre sexo.

“Sou um homem heterossexual na casa dos 30. Em julho do ano passado, contraí Covid e fiquei muito doente. Quando saí do hospital, tive alguns problemas de disfunção erétil. Esses gradualmente melhoraram com alguns cuidados médicos, mas parece que fiquei com um problema duradouro”, contou o homem. “Meu pênis encolheu. Antes de ficar doente, eu era acima da média, não enorme, mas definitivamente maior que o normal. Agora, eu perdi cerca de uma polegada e meia [três centímetros] e me tornei decididamente menor que a média”.

Ele ainda afirmou que os médicos associaram a diminuição de tamanho do seu órgão genital por conta de danos vasculares permanentes.

“Isso realmente não deveria importar, mas teve um impacto profundo na minha autoconfiança em minhas habilidades na cama”, finalizou.

Também convidado do episódio, o urologista Ashley Winter explicou que a disfunção erétil pode acarretar no encurtamento do pênis.

Covid-19 pode impactar na função erétil?

Dores, perda de olfato e paladar e problemas cardiovasculares são alguns dos problemas relatados por pacientes que se curaram da Covid-19. Um outro problema pode envolver a saúde sexual. Isso é o que pesquisas do Brasil, dos Estados Unidos e da China indicam, apontando que pessoas contaminadas podem apresentar impotência sexual a longo prazo.

O estudo chinês, realizado em março de 2021, com 81 pacientes, indica que a doença pode atacar os testículos por conta da alta concentração, nestes órgãos, do receptor usado pelo vírus para invadir o corpo humano. Os testítulos são o segundo local do corpo com mais enzimas ACE2, algo que é considerado como “porta de entrada” do coronavírus. Em primeiro lugar para os vírus, estão os pulmões.

No Brasil, necrópsias realizadas no Hospital das Clínicas da USP em pacientes que faleceram por conta da Covid-19, mostraram alguns danos nos testítulos e no epidídimo – canal que leva os espermatozóides do testículo à vesícula seminal.

Por isso, uma equipe da universidade realizou uma pesquisa com exames de ultrassonografia, que detectaram, em pacientes contaminados pelo vírus que não estão com sintomas respiratórios, inflamações no epidídimo e uma leve queda na quantidade de espermatozoides produzida pelo corpo.

Em outra pesquisa, que analisou os dados de mais de 3,7 mil pessoas nos EUA, 14,6% dos homens cisgêneros e 15,9% de pessoas não-binárias com pênis admitiram problemas com disfunção erétil. 10,9% dos homens cisgêneros e 3,2% das pessoas não-binárias relataram dores nos testículos.