Com novos investimentos e o merecido reconhecimento como Instituto de Pesquisa e Tecnologia (ICT), o Centro Paula Souza (CPS) completa 52 anos nesta quarta-feira, 6 de outubro, com energia renovada.

Criado em 1969 com a missão de implantar os primeiros cursos superiores tecnológicos do País, o CPS consolidou-se no decorrer de décadas como a maior instituição estadual de ensino profissional gratuito da América Latina.

Atualmente, a instituição atende cerca de 228 mil estudantes matriculados em 223 Escolas Técnicas (Etecs), 74 Faculdades de Tecnologia (Fatecs) estaduais e classes descentralizadas presentes em mais de 360 municípios paulistas.

Neste aniversário, o CPS está a todo vapor executando obras, fazendo aquisição de equipamentos e investindo na montagem de Salas de Integração Criativa com Espaços Maker. Resultado do anúncio de um pacote de investimentos que totalizam R$ 145 milhões nas Etecs e Fatecs, pelo Governo do Estado de São Paulo, no dia 1º de setembro deste ano.

Os recursos foram divididos em três frentes de investimentos:

  • R$ 78,8 milhões para compra de kits para equipar 8.672 salas de aulas e laboratórios, com o objetivo de aprimorar o ensino híbrido;
  • R$ 38 milhões para a montagem de Salas de Integração Criativa com Espaços Maker;
  • R$ 28,2 milhões para obras e reformas em unidades do CPS.

“Toda essa nossa trajetória se construiu graças a parcerias com o setor produtivo, municípios, órgãos do governo, mas principalmente graças à nossa equipe de profissionais dedicados todos os dias a oferecer educação de qualidade em nossas escolas”, comenta a diretora-superintendente do CPS, Laura Laganá.

“Tenho muito orgulho de ver o Centro Paula Souza a cada ano mais consolidado como uma instituição referência em Educação Profissional em todo o Brasil. Com novos investimentos e o reconhecimento como Instituto de Ciência e Tecnologia, celebramos esse aniversário com imensa satisfação”, completa.

“Além disso, as parcerias para a implantação de cursos, unidades e, agora, o investimento em equipamentos para laboratórios e salas de Integração Criativa com Espaços Maker permitem atender jovens de todas as regiões do Estado, levando novas oportunidades para as comunidades mais carentes”, completa.

Também marca o 52º aniversário da instituição o título de Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). A aprovação se deu por unanimidade em reunião realizada pelo Conselho das Instituições de Pesquisa do Estado de São Paulo (Consip).

“Com este reconhecimento abrimos um leque de novas oportunidades para a instituição em várias frentes para apoiar o Estado de São Paulo na geração de novos negócios com base tecnológica, contribuindo para a ampliar sua competitividade”, afirma a vice-diretora-superintendente do CPS, Emilena Lorenzon.

História

Um ano após sua criação em 1969, o então Centro Estadual de Educação Tecnológica de São Paulo (CEET) começou a oferecer três cursos na área de Construção Civil (Movimento de Terra e Pavimentação, Construção de Obras Hidráulicas e Construção de Edifícios) e dois em Mecânica (Desenhista Projetista e Oficinas). Era o início das Faculdades de Tecnologia do Estado. As duas primeiras foram instaladas em Sorocaba e São Paulo. Em 1973, passou a se chamar Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, em homenagem ao engenheiro e professor Antonio Francisco de Paula Souza.

Com o passar do tempo, o desenvolvimento da economia demandava cada vez mais profissionais especializados, principalmente na área de informática, o que impulsionou a criação de novas unidades a partir dos anos 1980. Vieram então as Fatecs Baixada Santista e Americana. Na mesma época, o CPS começou a englobar o Ensino Técnico de nível médio e passou a administrar as escolas profissionais que integravam convênio entre União, Estado e municípios.

Dentre elas, escolas centenárias criadas em 1911 para o ensino de prendas manuais e artes industriais a jovens e adolescentes, como a Escola Profissional Masculina (atual Etec Getúlio Vargas) e a Escola Profissional Feminina (atual Etec Carlos de Campos), ambas na Capital. Hoje as duas são destaque em qualidade no Enem e também na oferta de cursos conectados com o mercado de trabalho.

O CPS criou suas primeiras escolas técnicas em 1988: a Etec São Paulo, conhecida como Etesp, e a Etec de Taquaritinga. A partir de 1994, com a integração de 83 escolas existentes (outras 12 escolas foram incorporadas entre 1981 e 82), a instituição passou oficialmente a responder pelo Ensino Técnico público estadual. Hoje as Etecs oferecem 212 cursos voltados a todos os setores produtivos públicos e privados.

Já nas Fatecs, são 86 cursos de graduação tecnológica, em diversas áreas, como Construção Civil, Mecânica, Informática, Tecnologia da Informação, Turismo, entre outras.

Fonte: Governo do Estado

COMENTAR

Por favor comente aqui
Por favor informe seu nome