Proposta de modelo do IDEC sobre rotulagem dos produtos industrializados. Fonte: idec.org.br/rotulagem

Anvisa prorroga consultas sobre rotulagem de alimentos. Com a prorrogação, o prazo para envio de contribuições vai até 9/12/2019.

O que nós vemos hoje é um aumento da obesidade, sobrepeso e doenças relacionadas não
somente em adultos, mas em crianças. A grande maioria da população brasileira não tem conhecimento sobre o que está disposto nos rótulos dos produtos industrializados. A necessidade de revisão das atuais normas brasileiras de rotulagem vem sendo debatida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e representantes da indústria da alimentação e de entidades de defesa do consumidor e da área da saúde. E o consumidor poderá contribuir na decisão final sobre o novo modelo de rotulagem nutricional a ser adotado, acessando o link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=50279

A proposta da ANVISA é a inclusão de uma lupa na parte da frente dos rótulos dos produtos embalados que possuem açúcares adicionados, gorduras ou sódio iguais ou superiores aos limites definidos. Já a indústria da alimentação defende o modelo de semáforo nutricional, que utiliza cores (verde, amarelo e vermelho) para indicar o conteúdo nutricional baixo, médio e alto. O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) se posicionou contra os dois modelos sugeridos, alegando que os mesmos não informam de forma clara e fácil para o consumidor o que está presente no produto. O Instituto defende o modelo de triângulos preto com a borda branca, já que várias pesquisas mostram que o mesmo é mais eficiente.

A Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, uma articulação de entidades e
profissionais que atuam na área de segurança alimentar e nutricional, lançou uma petição para a população assinar (link: http://alimentacaosaudavel.org.br/campanhas/rotulagem/ ) se posicionando a favor à adoção da proposta de rotulagem nutricional apresentado pelo Idec, com o apoio de pesquisadores da UFPR (Universidade Federal do Paraná).

O Idec sempre se posicionou contra as embalagens destinadas ao público infantil, afirmando que as crianças devem ser protegidas da publicidade abusiva de produtos não saudáveis. Vale a pena entrar nos links mencionados e deixar sua contribuição nessa luta a favor da saúde de toda a população.

COMENTAR

Por favor comente aqui
Por favor informe seu nome