Ricardo Santos / Secom

O Departamento Técnico de Controle de Zoonoses (DTCZ), ligado à Coordenadoria de Vigilância à Saúde, da Secretaria de Saúde de Barueri, realiza ações de prevenção e combate a roedores em locais de maior concentração em Barueri.

O trabalho é desenvolvido pela equipe de desratização (controle de roedores) em pontos estratégicos da cidade, procurando atender ainda demandas solicitadas por munícipes e vereadores, via telefone, e-mail e Sistema Solar BPM (Sistema Barueri sem Papel).

De acordo com o DTCZ, 30% das solicitações recebidas envolve roedores. Nas ações, os agentes privam pelo atendimento seguro e de orientação aos munícipes. Em ruas, a equipe vistoria bueiros, retira tampas e coloca produtos químicos (granulados ou parafinados). O mesmo material também pode ser utilizado em imóveis domésticos ou comerciais. “Vamos aos locais, olhamos o ambiente e, se necessário, colocamos também granulados ou parafinados em caixas de inspeção de esgoto, vão de paredes, tocas, forros”, explic o agente Leonardo Silva, reforçando que sempre pedem às pessoas para que tomem cuidado com animais domésticos e crianças ao depositarem venenos para ratos.

Capacitação

O Departamento Técnico de Controle de Zoonoses tem cada vez mais capacitado a sua equipe de controle de roedores para realizar um melhor atendimento aos munícipes e identificação das áreas com maior incidência de roedores. O DTCZ desenvolve ainda o projeto piloto com base em áreas com incidência de alagamentos informadas pela Defesa Civil, atendendo locais com maior número de demandas relacionadas a problemas causados por roedores, atualmente chamadas de Áreas Programa.

Ratos

A principal característica dos roedores é a presença dos dentes incisivos com crescimento contínuo, isto é, os dentes não param de crescer. Daí vem a necessidade de roer para gastar essa dentição.

Os ratos são animais de hábitos noturnos, considerados onívoros, alimentam-se de tudo o que serve de alimento ao homem. Possuem diversas habilidades físicas, como nadar, subir em locais altos se houver base de apoio, saltar, equilibrar-se em fios e mergulhar.

Nas áreas urbanas, podem ser encontradas três espécies de ratos: Rattus norvegicus (ratazanas), Rattus rattus (ratos de telhados) e Mus musculus (camundongos); vivem de um a dois anos, tornam-se adultos com 60 a 90 dias de vida e produzem de seis a 12 ninhadas por ano, com até doze filhotes cada.

Como vedar acesso

O DTCZ recomenda a vedação de todos os vãos pelos quais os roedores possam passar, com materiais resistentes, fechando espaços iguais ou superiores a seis milímetros. Dentre outras medidas, o  departamento orienta: não instalar grelhas de esgoto com espaçamentos superiores a 1,27 cm; retirar a ração de animais de estimação ao entardecer; proteger gaiolas de pássaros para evitar o transbordo; instalar colares em árvores frutíferas; manter lixeiras limpas e tampadas; colocar o lixo a ser retirado próximo ao horário do caminhão de coleta passar; consertar vazamento de água e esgoto; e manter o imóvel organizado, livre de materiais inservíveis, entulhos, restos de obra e objetos em desuso.

Leptospirose

A leptospirose é uma doença grave, causada por bactérias da espécie Leptospira interrogans, presente na urina do rato e pode levar à morte o ser humano e animais domésticos. O contágio geralmente ocorre devido ao contato com água ou lama de enchente, limpeza de córregos, caixas de esgoto, águas pluviais, fossas ou de bueiros e manipulação de lixo contaminado com urina de rato infectada.

Os roedores urbanos também podem transmitir outras doenças, como peste bubônica, tifo murino, hantavirose, salmonelose, sendo comuns os acidentes causados pela mordedura desses animais ao se sentirem ameaçados.

Palestras

O DTCZ realiza palestras orientativas com temas diversos referentes a zoonoses, controle de animas sinantrópicos. Para participar, o interessado deverá enviar e-mail para saude.vseducacao@barueri.sp.gov.br.

Serviços

Para mais informações, basta entrar em contato com o DTCZ pelo telefone (11) 4198-5679, de segunda a sexta-feira das 8h às 17h; ou pelo e-mail saude.vszoonoses@barueri.sp.gov.br. Há também informações na página da Vigilância Sanitária, AQUI.

Fonte: Prefeitura de Barueri.

COMENTAR

Por favor comente aqui
Por favor informe seu nome